Equipe eZotik

Equipe eZotik

O que adianta batalhar por uma empresa se sua equipe não é bem treinada ? Enquanto a maioria das empresas e agências de bares prezam por alguns serviços que vemos como “show bar”, nós da eZotik levamos o nosso diferencial alem de nossa apresentação, é saber servir ! Ótima aparência, pontualidade e assiduidade, bartenders bilingues, vestuários de ótimo estado,  educação e simpatia são ferramentas que a eZotik não abre mão, nós oferecemos todos os suportes necessário para nosso staff trabalhar com gosto do que faz e feliz, por isso temos satisfação plena de nossos clientes! Saiba que sua comemoração não é mais um evento para gente, é uma data especial que temos que faze-la ainda mais surpreendente! “O verdadeiro diferencial quando o assunto é saber...
Coquetelaria é arte. E muuuuito conhecimento

Coquetelaria é arte. E muuuuito conhecimento

Ser barman não é uma questão de chacoalhar coqueteleira, muito menos de colocar guarda-chuvinhas medonhos em copos com líquidos coloridos com sabor de mesa de bingo. Ser barman é ter conhecimento profundo sobre bebidas, entender pacas de química, possuir capacidade de comunicação acima da média e, claro, ter habilidade de criar coquetéis inovadores, saborosos. Spike Marchant, barman inglês, preparando o drinque “batom líquido”; deliciosos drinques de saquê, vodka, absinto e esferas de mel; Tea time! Sou uma fã inveterada de drinques, daquelas saem pela cidade procurando misturas não-óbvias, bartenders talentosos– e fico bem feliz quando encontro pessoas como Márcio Silva (Cia. Tradicional), Marcelo Vasconcellos (Pandoro), Diógenes (ex-Arturito). Por isso me diverti tanto na apresentação do inglês Spike Marchant,  consultor de coquetelaria inglês e um dos idealizadores de um super programa de capacitação profissional para a classe, Diageo World Class. O cara é um show. Além de simpaticíssimo e conhecer profundo do universo das bebidas, preparou drinques geniais. Pena que não encontro nenhum deles nos bares de SP…  O primeiro, para exemplificar a importância do conhecimento de química e da compreensão de harmonização de sabores, foi o Lipstick Rose,  drinque que recriava o aroma, o sabor e até a textura final no lábio, meio encerada, de um batom. O segundo, que me PIROU, foi o Mastic Spa. A base é feita de vodca Ketel One, xarope de pepino e um licor grego produzido com a resina de uma árvore da ilha de Chios chamado Mastika (poderia tomar a garrafa inteira) com espuma picante de maçã. O terceiro (e era só meio dia…) tinha sabores bem marcantes de aniz: vodca, saquê, gotas de absinto e...